lunes, 1 de febrero de 2010

Manifesto!

Poesia de quem e para quem resiste!





Eu não te darei minhas forças...

Não desperdiçarei meus sonhos!

Na construção do poder camuflado





Eu não te darei minhas melhores idéias...

Não desperdiçarei meus sonhos!

Na construção do falso direito e do dever instaurado


Eu não te darei promessas...

Não desperdiçarei meus sonhos!

Na tortura silenciosa de quem trabalha


Eu não te darei espaço...

Não desperdiçarei meus sonhos!

Na ilusão de me roçar em brechas que me apertam


Eu não te darei minha voz firme...

Não desperdiçarei meus sonhos!

Na falsa tentativa de ser ouvida.


Podes até extrair meu suor...

Assim como sugas o de outras/os trabalhadoras/es

Mas não terás o meu sangue

Ele somente entrego à classe trabalhadora!


Ângela Pereira.

1º de fevereiro de 2010.

1 comentario:

  1. Parabéns pelo belíssimo manifesto poético Anja, mas é até de certa forma uma redundância parabenizar seus textos, pois sempre são perfeitos em sua essência, nos trasmitindo seus mais sinceros e lindos sentimentos.
    Continue a nos agraciar com seus textos hoje e sempre, para que o tenhamos como referenciais de luta e como palavras amigas, quando precisarmos.

    Beijos emancipadores!!!

    ResponderEliminar